Início Fundações Bloco de Coroamento: Definição, aspectos técnicos e normativos de dimensionamento

Bloco de Coroamento: Definição, aspectos técnicos e normativos de dimensionamento

16051
1

O bloco de coroamento ou bloco sobre estacas é um elemento complementar de fundações profundas. As fundações profundas são adotadas quando as camadas superficiais de solo não são capazes de suportar as solicitações oriundas da superestrutura. Essas fundações exigem a execução de um elemento capaz de transferir adequadamente os esforços do pilar à elas: os blocos de coroamento.

Os blocos de fundação possuem um arranjo com funcionamento complexo. É extremamente importante que se conheça o real comportamento, bem seus métodos de dimensionamento, visto que são componentes que influenciam diretamente na segurança da edificação.

Se você deseja entender o que são os blocos de coroamento, quais são as considerações necessárias em seu dimensionamento, os métodos de cálculo utilizados atualmente, as recomendações normativas e ainda acompanhar um exercício de dimensionamento completo, passo a passo, leia este artigo até o final!

O que é um bloco de coroamento?

Os blocos de coroamento são elementos de concreto que exercem a função de transferir os esforços dos pilares, provenientes da superestrutura para as fundações profundas (estacas e tubulões). No item 22.7 a ABNT NBR 6118:2014 define os blocos como sendo estruturas de volume que são utilizadas para transferir as estacas e aos tubulões as solicitações da fundação. A definição de estruturas de volume significa que este elemento possui suas 3 dimensões de mesma ordem de grandeza, assim, a distribuição de tensões no interior do bloco é um caso à parte, diferindo do comportamento de estruturas planas (lajes) ou lineares (vigas e pilares).

Os blocos de coroamento sobre estacas podem ser realizados para 1, 2, 3, 4… n estacas. O que definirá a quantidade de estacas será estritamente a capacidade de carga da estaca e os parâmetros geotécnicos do terreno.

Ainda segundo a NBR 6118:2014 os blocos podem ser considerados rígidos ou flexíveis, através de critérios similares aos definidos para sapatas. Essa classificação é de grande importância, pois cada um desses tipos apresenta comportamento estrutural diferente. Em bloco rígidos, considera-se que não há a presença de deformações no bloco, assim o bloco sofre movimentos de translação como um corpo rígido. Já os blocos flexíveis se deformam com as solicitações, de modo que é necessário avaliar, durante o dimensionamento, todas as deformações e movimentos que o bloco estará sujeito. Nos blocos flexíveis, a distribuição de esforços é um fator bem mais complexo de ser analisado em comparação aos blocos rígidos, sendo realizada, geralmente, com o auxílio de softwares que trabalham com o método dos elementos finitos.

Estruturalmente falando, a variável mais importante no dimensionamento de blocos de coroamento é a distância da estaca ao ponto de aplicação da carga do pilar. Isso porque, sob ação de momentos fletores, o módulo das solicitações nas estacas tende a diminuir conforme o espaçamento em relação ao pilar aumenta. Uma confusão que pode acontecer ao analisar esse conceito é pensar que, do conjunto, as estacas mais próximas ao pilar serão as mais solicitadas. Na verdade, as estacas mais e menos solicitadas serão sempre as das regiões periféricas do bloco ao passo que, as estacas na região central do bloco tendem a apresentar reações de média intensidade. Aumentar o espaçamento entre as estacas reduz o módulo das reações em geral, mas não altera essa configuração.

bloco-de-coroamento-estacas
bloco-de-coroamento-tubulão

Considerações para cálculo dos blocos de coroamento

Como todo projeto estrutural, o dimensionamento dos blocos de coroamento deve visar garantir, principalmente, segurança e economia ao projeto. 

De uma forma geral, os blocos de coroamento tem o dimensionamento de forma análoga ao das sapatas. O que os diferencia é principalmente o fato de o bloco transferir as solicitações para as estacas e tubulões, enquanto a sapata já transmite a carga diretamente ao solo.

Antes de se projetar, é necessário o conhecimento de dados como o número de estacas, tipo de estaca, o diâmetro das estacas, a investigação geotécnica do terreno e os esforços solicitantes, dimensões e armaduras dos pilares.

Quanto ao detalhamento dos blocos rígidos a NBR 6118:2014 (item 22.7.4.1) aborda as armaduras que devem ser atendidas no dimensionamento, são elas: armadura de flexão, armadura de distribuição, armadura de suspensão, armadura de arranque dos pilares e as armaduras laterais e superiores.

Comportamento estrutural de blocos de coroamento

A seguir serão apresentadas algumas observações que são destacadas pelo item 22.7.2.1 da ABNT NBR 6118:2014 referentes ao comportamento estrutural de blocos rígidos:

  • Trabalho à flexão nas duas direções, mas com trações essencialmente concentradas nas linhas sobre as estacas;
  • Forças transmitidas do pilar para as estacas essencialmente por bielas de compressão, de forma e dimensões complexas;
  • Trabalho no cisalhamento também em duas direções, não apresentando ruínas por tração diagonal, e sim por compressão das bielas, analogamente às sapatas.

Quanto aos blocos flexíveis a norma apenas cita que deve ser realizada uma analise mais completa, que leve em consideração desde a distribuição dos esforços nas estacas, dos tirantes de tração, até a necessidade da verificação da punção.

Métodos de cálculo e dimensionamento para bloco de coroamento

Apesar da grande importância dos blocos de coroamento para segurança estrutural, os métodos para dimensionamento e verificação de blocos rígidos com pilares centrados são relativamente descomplicados. O item 22.7.3 da NBR 6118:2014 especifica que para o calculo e dimensionamento dos blocos, são aceitos os modelos tridimensionais lineares ou não lineares e modelos de biela-tirante tridimensionais.

Com isso, os modelos de cálculo mais utilizados atualmente no Brasil para dimensionamento de blocos de coroamento são o Método das Bielas e Tirantes e o método do CEB-70. É grandemente difundido no meio técnico que os blocos rígidos com menos de 6 estacas deve ser dimensionado pelo método das bielas e tirantes e que os blocos com mais de 6 estacas, pelo método do CEB-70. Isso levando em consideração o critério de complexidade.

Método CEB-70

O método CEB-FIP (1970) é baseado na teoria da flexão. Este considera uma seção de referencia interna em relação a face do pilar e distante desta face de um comprimento de 0,15 da dimensão do pilar na direção considerada. É definida uma seção distante da face do pilar igual  a metade da altura útil do bloco, para a verificação da força cortante. O método só é aplicável a blocos considerados rígidos.

O processo de cálculo por este método é determinado pelas verificações de segurança para tensões normais e tangenciais com os esforços solicitantes determinados em seções transversais particulares. Com isso o método propõe a determinação da armadura principal para a flexão e a verificação da resistência do bloco às forças cortantes.

Método das Bielas

Em termos gerais o método das bielas-tirantes considera a idealização de uma treliça tridimensional com barras tracionadas e comprimidas. Neste método as bielas de concreto seriam as barras comprimidas, onde deve ocorrer a verificação da tensão de compressão. As armaduras tracionadas seriam os tirantes.

bielas-e-tirantes

Este método tem como principal incógnita determinar as dimensões das bielas comprimidas, que é estipulada pelas propostas de Blévot (1967). De acordo com a NBR 6118:2014 (item 22.3.1) as treliças são consideradas isostáticas e nos nós são concentradas as forças aplicadas ao elemento e as reações de apoio, formando um sistema auto equilibrado.

Basicamente esse método resume-se na determinação da força de tração, que define a área necessária de armadura e na verificação das tensões de compressão nas bielas, que são calculadas nas seções situadas junto ao pilar e à estaca. O método é amplamente recomendado para cargas centradas e para os casos onde todas as estacas estejam afastadas igualmente do centro do pilar. Caso seja utilizado onde as cargas não estejam centradas, deve-se admitir que todas as estacas comprimidas estejam submetidas a maior força transferida.

Exercício Resolvido Dimensionamento de Bloco de coroamento de duas estacas pelo Método das bielas

Projetar pelo método das bielas o bloco sobre duas estacas escavadas do tipo Strauss com diâmetro de 42cm, suportando a solicitação axial de 70tf proveniente de um pilar 40x40cm.

Dados:

P = 70 tf (Carga proveniente do pilar)

Concreto C20

Aço CA-50

F = 42 cm (Diâmetro da estaca Strauss)

e = 3 x F = 126 cm (Espaçamento entre as estacas)

a = b = 40 cm (Dimensões do pilar)

1ª Etapa: Definição da Geometria

dimensionamento-bloco-de-fundação

Considerando que se deixe 15 centímetros da estaca até a superfície de cada lado do bloco de coroamento:

A = e + F + (2 x 15 cm)

A = 126 + 42 + 30 = 198 cm = 200 cm

B = F + (2 x 15 cm)

B = 42 + 30 = 72 cm = 75 cm

Para definição da altura útil, seguindo uma recomendação prática, temos que esta deve ser maior ou igual que a metade do espaçamento entre as estacas:

altura

O embutimento é a distancia em que a estaca deve adentrar ao bloco, as especificações, dizem que este nunca deve ser menor do que 5 cm. Considerando 10 cm de embutimento:

H = d + embutimento

H = 65 + 10 = 75 cm

Verificação do angulo da biela:

O ângulo de inclinação das bielas para blocos sobre duas estacas, deve atender a seguinte relação: 45º ≤ α ≤ 55º, então:

alpha

45º ≤ 50,81º≤ 55º → OK!

Verificação da rigidez do bloco de coroamento:

Para que o bloco seja considerado rígido, ele deve atender às seguintes especificações:

rigidez

Então:

vista em planta-bloco-de-coroamento
corte-bloco-de-coroamento

2ª Etapa: Verificação da biela de compressão

O método estabelece as seguintes verificações para biela de compressão:

Interface pilar-bloco:

fbp

Interface estaca-bloco:

fbe

Áreas:

areas

Fck do concreto C20 = 200 MPa, então:

0,85. Fck = 0,85.200 = 170 kgf/cm²

Realizando as Verificações:

verificações

3 ª Etapa: Cálculo da armadura principal

Tração pelo método das bielas:

tensão

Área de aço principal:

as

Utilizando barras de 16 mm: 5 φ 16mm

Essas barras vão ser posicionadas na parte inferior do bloco e acima das estacas para combater os esforços de tração.

4ª Etapa: Calculo das armaduras secundárias

O método estabelece que a armadura horizontal superior seja 1/5 da armadura principal, então:

as'

Utilizando barras de 8 mm: 4 φ 8 mm

Quanto aos estribos horizontais, é estabelecido que sejam 1/8 da armadura principal, então:

as''

Utilizando barras de 6,3 mm: 4 φ 6,3 mm

Para os estribos verticais, deve-se se seguir as condições:

< 80 tf usar 12 cm de espaçamento

> 80 tf usar 10 cm de espaçamento

Adotando barras de 8mm, então 8 mm c/ 12 cm.

Finalizando

Neste artigo vimos a definição dos blocos de coroamento e sua importância como elemento estrutural, bem como os aspectos normativos e métodos utilizados para o seu dimensionamento. Por fim realizamos um dimensionamento completo para um bloco de coroamento de duas estacas. Se você gostou deste tema e deseja saber mais, acesse meu canal de conteúdos de engenharia de estruturas e fundações no Youtube, clicando aqui!

Espero ter contribuído para o avanço do seu conhecimento! Deixe nos comentários sua opinião sobre este artigo e a importância dos blocos de coroamento para engenharia de fundações.

Até a próxima!

1 COMENTÁRIO

  1. A worldwide hemp and CBD marketplace, Company is solely for CBD-associated enterprises.
    You could buy and then sell CBD items without ever checking out our site.
    It links a global network of CBD companies. Think about our foundation a center
    for all CBD e-commerce web sites and companies!! What’s in it to
    suit your needs? It’s all great! I bought these
    gummies to complement another company’s relevant product, and they have been quite
    similar. Unprecedented technological creativity has created
    a significant impact! These is going to be available month to month, so carry
    up now. We enjoy you producing this sort of wonderful product!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor coloque seu comentário!
Por favor coloque seu nome aqui