Home Estruturas NBR 6118/2023 atualizada: Nova Norma de Estruturas de Concreto

NBR 6118/2023 atualizada: Nova Norma de Estruturas de Concreto

11094
0
nbr 6118 2023

A NBR 6118/2023  – Projeto de Estruturas de Concreto é a norma brasileira regulamentadora de critérios gerais que regem o projeto das estruturas de concreto, sejam elas de edifícios, pontes, obras hidráulicas, portos ou aeroportos etc, tanto para concreto armado, quanto para concreto protendido.

Esta norma bebe de edição anterior da ABNT NBR 6118 (historicamente conhecida como NB-1) e das ABNT NBR 7197, ABNT NBR 6119 e NB-49.

Modificações relevantes foram realizadas no ano de 2014 e recentemente foi publicada sua mais nova revisão em 2023. A nova revisão da norma compreende alterações e incrementos importantes para o avanço e melhoria contínua dos projetos de estruturas de concreto.

Se você quer saber quais foram às alterações dessa nova revisão, como isso irá afetar os projetos de estruturas de concreto e como proceder com essas mudanças em seus projetos, leia este artigo até o final.

O que está diferente da revisão?

Segundo o eng. Alio Kimura, diretor-adjunto de Normas Técnicas da ABECE e secretário da Comissão:

“A grande maioria das novidades consiste na introdução de textos e figuras, certas vezes com a imposição de limites, cujo objetivo é esclarecer como os procedimentos e requisitos devem ser considerados nos projetos estruturais de forma correta. Não há alterações significativas nas metodologias e formulações atuais, com exceção para concretos de alta resistência, em que foi introduzido um novo coeficiente de fragilidade, baseado no código-modelo europeu. Há também um novo diagrama para análise estrutural não-linear, pequenos ajustes e melhorias na parte de fadiga, etc.”

“essa revisão demonstra os sinais de maturidade do texto atual.” Segundo a eng. Suely Bueno, diretora de Normas Técnicas da ABECE e coordenadora da Comissão.

Vamos as alterações selecionadas:

Alteração do critério de durabilidade (7.4.7.4)

Existia uma certa confusão e discussão entre os projetistas relativo a quando era possível realizar a utilização da redução do cobrimento deste item da norma.

Fica claro a especificidade do critério, relacionado com estruturas projetadas de acordo com a NBR 9062 – Projeto e execução de estruturas de concreto pré-moldado, ou seja, é um item específico para estruturas de concreto pré-moldado.

criterio-de-durabilidade

Alteração do critério compressão do concreto (8.2.10.1)

A alteração mais relevante na norma atual que adiciona um coeficiente de fragilidade. Esse coeficiente, chamado \eta c atuará apenas para concretos acima de 40MPa, e reduz a resistência de concretos acima dessa resistência já citada.

coeficiente-de-fragilidade
neta-c

Novo diagrama para análise não linear (8.2.10.1)

Agora, para realizar a análise não linear, podemos alternativamente, utilizar o diagrama de tensão-deformação importado da norma europeia.

diagrama-analise-nao-linear

Alteração dos ganchos dos estribos (9.4.1.6)

Apenas uma alteração de notação, em relação a ângulo interno ao estribo ou externo. Na norma anterior 45º interno, a norma atual fala em 135º externo e adiciona uma figura para auxiliar a interpretação. Além disso, a norma atual também deixa mais claro a sua preferência pela utilização da dobra de 135º em detrimento a dobra de 90º (ângulo externo).

ganchos-de-estribos

Alteração no tipo de superfície aderente (8.3.2)

A nova norma NBR 6118:2023 facilita a interpretação do coeficiente de aderência \eta 1 a ser utilizado substituindo a classificação de tipo de superfície aderente (lisa, entalhada ou nervurada) por categoria de aço (CA-25, CA-50 ou CA-60).

superfície-aderente

Alteração da classificação das ações (11.2.2)

A NBR 6118:2023 enfatisa que o carregamento água pode ser considerado como permanente, variável ou especial, dependendo da situação. Cabe ao projetista avaliar, lembrando que a norma ABNT NBR 8681:2004 define como carga permanente as ações que ocorrem em toda a vida útil da edificação com valores constantes ou com pequenas variações em torno de sua média, e carga variável as ações com variações significativas em torno de sua média ao longo da vida útil da edificação.

classificacao-das-acoes

Alteração coeficientes de ponderação das ações (tabela 11.1)

Em relação aos coeficientes de ponderação das ações mudou a o item anexo a, onde na antiga norma NBR 6118:2014, era permitido para cargas permanentes de pequena variabilidade, como o peso próprio, a redução do coeficiente para 1,3. Na norma atual, existe essa possibilidade de redução, mas deve-se revisitar as outras ações permanentes com base na NBR 8681.

No meu entendimento, vale a pena continuar considerando 1,4 para todos as ações permanentes, tendo em vista que isso terá pouca influência no resultado final, detalhamento de armaduras.

ponderação-das-ações

Novo texto imperfeições globais (11.3.3.4.1)

Novo texto esclarecendo a variável n (número de pilares) que contribuem para o efeito do desaprumo global.

Alteração exigência de durabilidade (tabela 13.4)

Existia uma dúvida entre os projetistas se a protensão completa só vale para classe de agressividade III e IV. A nova norma procura melhorar a tabela e esclarecer esse ponto.

exigência-de-durabilidade

Alteração não linearidade física (15.7.3)

Novo texto referente a avaliação da não linearidade física para estruturas com pouco carregamento verticais (galpões por exemplo), neste caso avalia-se os coeficientes de forma específica.

não-linearidade-física

Coeficiente adicional para pilares esbeltos (15.8.1)

A forma de apresentação do cálculo do coeficiente majorador dos efeitos locais de 2ª ordem de pilares muito esbeltos mudou.

coeficiente-adicional-pilares-esbeltos

Alteração do coeficiente \alpha b pilares em balanço (15.8.2)

Para pilares em balanço o coeficiente \alpha b é igual a 1.

Ajuste na figura comprimento equivalente le (15.9.2)

Alteradas algumas inconsistências nas formulações do comprimento equivalente de pilares parede.

Alteração no ato da protensão (17.2.4.3.2)

Inserção de redutor para verificação do ato da protensão no caso de concretos acima de 50MPa.

Adição de tensões limites de protensão (17.2.4.4)

Item bastante importante. Foram definidos na nova norma, limites de tensão para compressão excessiva. Anteriormente na prática usava-se o ACI, agora está explicito os limites que devem ser utilizados na norma brasileira.

Adição de figuras e comentários relacionado a flecha imediata de vigas (17.3.2.1.1)

A norma coloca uma nova figura e elucidando a possibilidade e maneira de realizar a consideração de rigidez equivalente diferente ao longo do comprimento de uma viga contínua, tendo em vista a diferença de momento atuante ao longo do diagrama.

Alteração na verificação ao cortante – Modelo I (17.4.2.2.)

A nova norma NBR 6118:2023 trás algumas mudanças na formulação da verificação de cortante, referente ao modelo I.

Alteração estribo suplementar (18.2)

Possibilidade de utilização de estribo suplementar com diâmetro e espaçamento diferente do estribo poligonal.

Alteração mudança de direção das armaduras (18.2.3)

Adiciona um texto referente a necessidade de verificação do banzo comprimido nos casos em que ocorrer empuxo no vazio.

Alteração na armadura de tração nos apoios (18.3.2.4)

Devido a complexidade dos projetos atuais e da possibilidade de surgimento de momento positivo nos apoios foi inserido novo texto, buscando elucidar essa questão.

Alteração armadura de suspensão em vigas

A intensão acertada aqui foi homogeneizar os entendimentos dos projetistas em relação a armadura de suspensão em vigas. Os 4 parágrafos trazem critérios específicos sobre o cálculo de detalhamento dessas armaduras.

Alteração Punção (19.5.3.2)

Adicionou-se limites para buscando melhorar os resultados da formulação da tensão resistente na superfície crítica C’. Além disso, especificou-se a maneira de considerar a colaboração da compressão no cálculo da tensão resistente na superfície crítica.

Correção na figura bordos livres e aberturas (20.2)

Correção do comprimento de ancoragem das armaduras para 2.h ou Lb.

ancoragem-aberturas-lajes

Adicionada nova figura cabos em faixa externa (20.3.2.2)

Nova figura da NBR 6118:2023 visando auxiliar a interpretação do texto da norma referente a cabos de protensão em faixa externa.

representacao-distribuicao-cabos

Alteração armadura contra colapso progressivo (20.3.2.6)

Revisada a utilização dos cabos de protensão para dispensar a utilização de armadura contra colapso progressivo. Com o novo texto, é possível utilizar a os cabos como parte da armadura contra colapso progressivo, com mínimo de 2 cabos.

colapso-progressivo

Alteração Região D (22.2)

Introduziu-se nessa revisão em que tipos de elementos utilizar o coeficiente adicional \gamma n.

regiao-d

Correção em relação a armadura de suspensão em blocos (22.7.4.1.3)

Com o novo texto, a armadura de suspensão em blocos fica mais condizente com a realidade. A necessidade da armadura de suspensão é apenas necessária quando o espaçamento entre estacas for maior que três vezes a altura do bloco.

armadura-distribuicao

Alteração vibração excessivas (23.3)

Sobre vibrações excessivas, traz novos textos, claro a característica simplificada da verificação proposta e da necessidade em casos específicos de análises mais complexas.

vibracao-excessivas

Conclusão

Essas foram as principais alterações na nova revisão da norma, contudo ainda tenha alguma dúvida ou queira saber mais sobre o assunto de projeto de concreto, clique aqui para acessar gratuitamente a seção do site que contém diversos outros artigos.

Deixe nos comentários sua opinião sobre essa percepção das mudanças na NBR 6118:2023.

Até a próxima!

Referências Utilizadas

  1. Palestra – NBR 6118:2023 – Principais Novidades e Futura Emenda – Instituto de Engenharia
  2. Guia Completo NBR 6118:2023 – AltoQi

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here